terça-feira, 25 de agosto de 2009

Liberdade religiosa

Companheiros,
gostaria da opinião de todos, sobre uma assunto que vem me chamando a atenção constantemente nas ruas da minha cidade: a proliferação de adesivos e adereços em alusão às religiõs afro-descendentes, como "amigo do Zé", ou "foi Oxóssi que me deu". Gostaria de abrir duas frentes de discussão. A primeira, até que ponto alcançamos a liberdade religiosa, livre de preconceitos, se é que alcançamos, ou se ainda vivemos no obscurantismo de opressão religiosa. A outra é, até onde esse tipo de manifestação é benéfica para a sociedade, ou se é simplesmente, uma perda de tempo e de cultura, assim como também temos os exemplos: "Sou feliz por ser católico", ou "Tenho orgulho de ser evangélico". Em minha modesta opinião, sua prática religiosa diz respeito apenas a você, sendo completamente desnecessário sua exibição para os outros cidadãos.

8 comentários:

Dr. Ernesto disse...

Companheiro,

acho que esta ação de divulgação através de adesivos da sua opção religiosa não passa de modismo. Lembro-me que há algum tempo atrás, esteve muito na moda o adesivo de lugares praianos paradisíacos como Búzios ou Saquarema (década de 80). Já mais recentemente, adesivos com personagens da Warner Bros (década de 90). Posso comprovar minha tese, de acordo com o número de "devotos" de São Jorge que fixam seu decalque torto, como se o cavalo corresse e pisoteasse o dragão. Essa pessoa nunca viu uma imagem do santo??? Isso é modismo, meu caro. Poucos são aqueles que têm realmente fé. A maioria faz porque é maneiro ou bonitinho ou faz parecer bandido.

Vinícius Ramos disse...

E ainda há atualmente esta ridícula associação com São Jorge, e o banditismo social. Agora, o santo passou a ser sinônimo de malandragem, de desvio da lei. Ou seja, uma completa deturpação dos valores, seguidos por eles ou não, que os seguidores do santo pregam. Ridículo!

Daniel Braga disse...

Acho que isso me parece uma grande competição.
Acho que a verdadeira essência das religiões foi perdida a muito tempo e como caminha só tende a se perder mais ainda.

Peter disse...

Religião é invenção do homem,logo visto como algo mundano. Uma pessoa acreditar na Biblia e seguir uma religião é uma pessoa contraditória,visto que a própria Bíblia "condena" a religião.
O que falta ao homem é fazer o bem,respeitando todas as religiões e os religiosos que por muitas vezes fazem mais o mal do que uma pessoa que nao segue nenhum tipo de crença religiosa.

Abração!

Coelho disse...

Sr. Ernesto,

primeiro de tudo "foi Oxóssi que me deu" (hahahahahahahahahakkkk)

segundo acho que na verdade a maior e significativa 'perda de tempo' foi a do Sr. postando essa observação aí na sua cidade! hahahahahahahahahahahahahaha

Coelho disse...

Dr. Ernesto,

o Sr. não vai publicar o meu comentário anterior?

Dr. Ernesto disse...

Publicado, conforme solicitado.

Abços.

Bruno disse...

Debatendo a primeira questão, se de fato alcançamos a liberdade religiosa, creio eu que não. É só analizarmos a reação instantanea da maioria da população, em relação as religiões de origem africana em geral. E quanto a segunda questão levantada, eu acho normal e se talvez nao seja de fato benéfica também não é prejudicial, manifestações de cunho religioso. É natural que pessoas se manifestarem em o que acreditam, talvez só pela manifestação em si, ou para se identificar com as pessoas que compartilham da mesma crença religiosa.

digníssimo